PPCI - PORTO ALEGRE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO

 

PPCI - PORTO ALEGRE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO

Instalação, manutenção, consultoria, laudos

 























Slide 1

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA

Slide 2

INSTALAÇÕES DE SISTEMAS

Slide 3

CONSULTORIA E LAUDOS: PPCI, PSPCI, CLCB

Slide 4

CONSULTORIA E LAUDOS: PPCI, PSPCI, CLCB

Example Frame

SERVIÇOS DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO

 

BUSCAMOS NÃO SÓ A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO, MAS PRICIPALMENTE A SEGURANÇA JURÍDICA.

 

CONTRATO MENSAL DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA
Conveniência: nos responsabilizamos por toda a prevenção de incêndio.

 

MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA INDIVIDUAL
Por chamada.

 

VISTORIA TÉCNICA
Revisão tanto para a verificação da conformidade com o PPCI aprovado como testes de funcionamento.

 

ACABAMENTOS E ADAPTAÇÕES
Em nossos serviços nos responsabilizamos por todos os acabamentos e adaptações que se fizerem necessários. Por exemplo, furos em concreto, alvenaria, reboco, forro de gesso e outros, pintura, elétrica, hidráulica, automação, sistemas especiais, dumpers, outros por mais sofisticados que sejam.

 

RESPONSABILIDADE TÉCNICA
Engenheiro responsável técnico ENG. CARLOS WENGROVER CREA-RS 44945. Emissão de ART - Anotação de Responsabilidade Técnica do CREA-RS.

 

EQUIPE TÉCNICA
Técnico especializado registrado no CREA-RS.

 

CONSULTORIA ESPECIALIZADA PARA PPCI
Prestamos consultoria para assuntos antes e depois do PPCI. Cobramos por hora técnica ou global.

 

CONSULTORIA PARA PSPCI - PLANO SIMPLIFICADO DE PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO E CLCB - CERTIFICADO DE LICENCIAMENTO DO CORPO DE BOMBEIROS.
Orientação técnica e administrativa para elaboração de PSPCI e CLCB. Faça tudo correto, rápido e econômico evitando multas. Consultas com hora marcada.

 

CONTESTAÇÃO E RECURSOS JUNTO AO CORPO DE BOMBEIROS
Em relação a exigências imprópiras do Corpo de Bombeiros e recursos administrativos.

 

PEDIDO DE PRORROGAÇÃO DE PRAZO
Formalização de pedidos, quando aplicáveis.

 

COMUNICAÇÃO DE AUMENTO DE ÁREA E ALTERAÇÃO DE LAYOUT
Sem a necessidade de novo PPCI.

 

LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE DE MATERIAIS DE ACABAMENTO E REVESTIMENTO
Quando obrigatória pela legislação.

 

LAUDO TÉCNICO DE SEGURANÇA ESTRUTURAL EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO
Quando obrigatória pela legislação.

 

LAUDO TÉCNICO DE COMPARTIMENTAÇÃO
Quando obrigatória pela legislação.

 

LAUDO TÉCNICO DE ISOLAMENTO DE RISCOS
Quando necessitar PPCI, PSPCI ou CLCB isolado do restante do prédio.

 

LAUDO TÉCNICO DE INVIABILIDADE TÉCNICA
Para isenção de sistemas inviáveis propondo medidas compensatórias.

 

LAUDO TÉCNICO DE SPDA (PÁRA RAIOS)

Para prédios que já tiverem o SPDA instalado.

 

LAUDO TÉCNICO DE ESTANQUEIDADE DE REDE DE GÁS

Para GLP (gás liquefeito de petróleo) ou para GN (gás natural). Detecção de vazamento.

 

LAUDO TÉCNICO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Para detecção de risco iminente de incêndio.

 

LAUDO TÉCNICO DE INSPEÇÃO PREDIAL - LTIP

Conforme a legislação municipal.

 

RENOVAÇÃO DE ALVARÁ DE BOMBEIROS
Para prédios com PPCI ou PSPCI.

 

ASSISTÊNCIA TÉCNICA JUDICIÁRIA

Para processos que envolvam prevenção de incêndio.

 

PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO

 

MONTAGEM OU ALTERAÇÃO DE SISTEMAS DE HIDRANTES
Com reservatório superior, inferior ou sem reservatório.

 

MONTAGEM OU ALTERAÇÃO DE SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS (SPRINKLERS)
Em lojas de shopping, edifícios, indústrias, arenas, estádios, depósitos, outros.

 

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO
Com fio e sem fio.

 

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE COMBATE A INCÊNDIO PARA COZINHAS
Shoppings, colégios, indústrias, outros.
Os sistemas de combate a incêndio em cozinhas industriais atuam na proteção à coifa, o duto e os eletrodomésticos instalados abaixo da coifa.

Esses sistemas são a base de acetato de potássio (agente umectante – wetting agent) específico para supressão de incêndios, que possuem, como principais combustíveis, óleos ou gorduras de origem vegetal ou animal. Eles podem produzir, tanto o efeito de saponificação, quanto o de resfriamento, além de permitir facilidade na limpeza após a supressão das chamas.

O sistema pode ser comandado tanto automaticamente como manualmente, sendo que, no modo automático, quando o incêndio é iniciado, a rede de detecção, constituída em elos fusíveis (sistema mecânico), ou detectores eletrônicos, irá detectar o incêndio. Após a detecção, o módulo de acionamento irá interromper o fornecimento de gás e/ou eletricidade, para os equipamentos da cozinha, além de acionar o dispositivo que libera o agente de supressão na coifa, no duto e nos eletrodomésticos, que combate com extrema rapidez o fogo e resfria o combustível. Tal processo se dá da mesma maneira, quando o sistema é acionado manualmente.

De acordo com a norma NFPA, só extintores classe K podem combater o fogo da natureza única da gordura de cozinha, que necessita de duas etapas básicas, para ser completamente suprimida: a extinção e o resfriamento, melhor atingidos com agentes químicos umectantes. Portanto, é importante que sistemas contra incêndios em cozinhas sejam usados, sempre, em conjunto com extintores classe K, obtendo-se, assim, um “ataque” mais eficaz, constituído de duas etapas.

 

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS FIXOS AUTOMÁTICOS DE COMBATE A INCÊNDIO POR GASES LIMPOS
O emprego de sistemas fixos de gases é recomendável nas situações em que o uso da água ou outro agente extintor pode causar danos adicionais aos objetos ou equipamentos daquela edificação, quando houver risco pessoal no uso do agente extintor convencional, ou ainda quando os resíduos do combate a incêndio são difíceis de serem controlados e podem trazer danos ao meio ambiente.
Exemplos:
a) objetos de valor inestimável (obras de arte, etc);
b) equipamentos ou objetos com alto valor agregado e
sensíveis ao uso dos agentes extintores convencionais (máquinas automatizadas em linhas de produção, CPD, centrais de sensoreamento remoto, centrais de telecomunicações, etc);
c) equipamentos energizados (transformadores, controles
de subestações elétricas, etc);
d) locais onde haja necessidade de isolamento do meio
externo (laboratórios onde se armazenam agentes
patológicos, produtos radioativos, etc);
e) dados ou informações de valor inestimável (CPD,
arquivos convencionais de documentos importantes, etc);

 

INSTALAÇÃO SISTEMAS DE SAÍDAS DE EMERGÊNCIA E VEDAÇÃO
Portas corta-fogo
Paredes e divisórias corta-fogo;
Materiais corta-fogo aplicados nas fachadas;
Selagem dos dutos de ventilação e ar-condicionado;
Instalação de registros corta-fogo nos dutos;
Selagem dos shafts e passagem de tubulações por elementos de compartimentação;
Selagem entre fachadas e pavimentos;
Instalação de portas e/ou vedadores corta-fogo;

 

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE SINALIZAÇÃO DE EMERGÊNCIA

 

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA DE ACLARAMENTO E DE BALIZAMENTO

 

INSTALAÇÃO DE SPDA (PÁRA RAIOS)

Franklin ou Faraday

 

Qualquer dúvida estou à disposição!

 

Carlos Wengrover

 

Carlos Wengrover

 

Formação profissional

 

Engenharia civil UFRGS, 1982

 

Engenharia de segurança do trabalho UFRGS, 2003

 

Administração de Marketing e Metodologia do Ensino Superior, pela UNISINOS, 1996

 

Bombeiro Voluntário, pela Escola de Bombeiros da Brigada Militar de Porto Alegre, 2005.

 

 

Participação

 

Conselheiro do CREA-RS pela Câmara de Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho 2014

Conselheiro suplente do CREA-RS pela Câmara de Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho 2015

 

Representante do CREA-RS no Conselho Estadual de Prevenção e Proteção Contra Incêndio RS - COESPPCI.

 

Coordenador do CB-24 RS Comitê Brasileiro de Segurança Contra Incêndio da ABNT núcleo RS desde 2005

 

Professor da Disciplina de Prevenção de Incêndio do Curso de Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho do IPA - Instituto Metodista de Ensino Universitário.

 

Coordenador adjunto da Comissão do CREA-RS para investigação do incêndio da Boate Kiss em Santa Maria, RS 2013

 

Colaborador na Comissão Parlamentar que criou a Nova Lei de Prevanção de Proteção Contra Incêndio do RS Lei Complementar Nº 14.376, de 26 de dezembro de 2013

 

Coordenador do Mercofire desde 2009

 

Coordenador do Grupo de Trabalho GT-PPCI do CREA-RS 2008 a 2011 e participante desde 2004

 

Professor do PAP - Programa de Atualização Profissional CREA-RS desde 20013

 

Membro da comissão de engenharia civil da Inspetoria de Porto Alegre do CREA-RS 2006-2010

 

Avaliador Líder do Sistema de Gestão do PGQP - Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade 2009 e 2010

 

Presidente da ARES Associação Sul Rio Grandense de Engenharia de Segurança do Trabalho 2011-2012

 

Reconhecido por serviços relevantes ao exercício profissional de engenharia pelo CREA-RS

 

Associado à ABENC – Associação Brasileira de Engenheiros Civis

 

Presidente da Subcomissão de Revisão da Lei de Prevenção de Incêndio 14.736/2013 e alterações.

 

Diretor da TreinaCentro Escola de Segurança do Trabalho. desde 2012

 

Web sites:

 

www.treinacentro.com.br cursos pelas NR do MTE: NR-10 Eletricidade, NR-35 Altura, NR-33 Espaço Confinado, NR-23 Prevenção e Combate a Incêndio e, outras.

 

www.ppci.com.br Serviços de engenharia de incêndio

 

www.carlosvirtual.com.br cursos on-line e apoio on-line para parte teórica de cursos presenciais.

 

 

Design por Buffdesign por Buff
Mapa do site:
.Home
.Contato
Links Úteis:
Bombeiros - CB-24 - NFPA - Downloads